quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Apodi é primeiro município da região Oeste a apresentar Plano Municipal de Educação


Secretaria de Educação

A secretária de Educação de Apodi, Mara Duarte e as técnicas pedagógicas Saúde Pinto e Iêda Silva, estiveram em Mossoró, na terça (16), para apresentarem o esboço do Plano Municipal de Educação à Avaliadora Educacional o MEC, Maria das Vitórias Ferreira, responsável pelo Polo 06, que compreende os municípios do entorno de Mossoró.

A avaliadora elogiou o município, por ser o primeiro a construir o seu PME, entre os municípios do Polo de Mossoró e pelo cumprimento de todas as etapas previstas no Plano. A criação do Plano Municipal de Educação, contendo metas e ações para os próximos 10 anos é uma exigência legal que está sendo cumprida pela gestão do prefeito Flaviano Monteiro.

“O apoio do prefeito à construção do PME foi muito importante para cumprirmos as etapas previstas por Lei, porque assim como nós da secretaria, Flaviano entende que as melhorias só vão chegar aos municípios, se houver um planejamento que possa garantir a aplicação dos recursos de forma efetiva, com a participação de todos os segmentos da sociedade”, frisou a secretária.

O primeiro passo para a elaboração do documento foi dado no dia 27 de março deste ano, quando o prefeito publicou a nomeação da Comissão Municipal de Sistematização do Plano Municipal de Educação, com representantes de escolas, sindicatos, conselhos, câmara municipal, pais e alunos. A comissão fez o levantamento dos dados para diagnóstico e elaboração do Plano.

A elaboração do Plano, em consonância com a Lei 130005/2014 é participativa e o próximo passo é realizar a Conferência Municipal, para juntos, governo e sociedade civil, pais, alunos, professores e demais profissionais da educação, analisarem as propostas contidas no PME e definir políticas públicas para educação do município. Depois, o projeto vai para votação na Câmara Municipal.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

PROEX abre inscrição para o Programa Trilhas Potiguares

UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) por meio da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) abre inscrição para participação de municípios, coordenadores e discentes no Programa Trilhas Potiguares no ano de 2015.

As inscrições para discentes e coordenadores podem ser feitas até o dia 15 de fevereiro pelo Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA), sendo as atividades do programa desempenhadas no períodos de 5 a 18 de julho de 2015.

Para os municípios, as inscrições serão realizadas por meio de ficha de inscrição que deve ser encaminhada, preferencialmente, para o e-mail: trilhas_potiguares@hotmail.com, ou entregue pessoalmente ou via postal à Coordenadoria de Programas e Projetos da Pró-Reitoria de Extensão da UFRN.

Podem se inscrever para as vagas de coordenador de equipe os docentes e os servidores técnico-administrativos com nível superior e que sejam do quadro efetivo da UFRN. Os municípios interessados em participar do Programa devem possuir população até 15 mil habitantes, disponibilizar materiais (equipamentos e consumíveis) necessários à realização das ações entre outras obrigações firmadas em Termo de Compromisso entre a UFRN e as Prefeituras.

Já os estudantes que desejam participar devem ser alunos de graduação ou pós-graduação de qualquer curso, presencial ou a distância, da UFRN. Os discentes que já participaram das edições de 2013 e 2014 do Programa Trilhas Potiguares não poderão ser selecionados para o Programa em 2015.


Mais informações e acesso ao edital no site da PROEX: em www.proex.ufrn.br.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Portalegre: Comunidade quilombola receberá até R$ 280 mil para projetos

Recursos serão aplicados na construção de um novo espaço objetivando a instalação de uma mini fábrica de confecções

Kyberli Gois, 14 de dezembro de 2014

Afastada da correria característica dos centros urbanos, rica em cultura e crença. Tais características se aplicam a comunidade quilombola de Sobrado, localizada em Portalegre, no Oeste do estado.

Com uma nação associada ao passando, no período da escravidão no Brasil, as cerca de 30 famílias que vivem no assentamento dos Negros Feliciano do Alto buscam mudar sua realidade e investir nas potencialidades locais.

A maior parte da renda é associada a produção de caju e o reaproveitamento da castanha do fruto, mas os moradores que habitam a região vivem a expectativa de uma nova fonte de sustento: o artesanato.

Tal mudança pode ocorrer no decorrer dos próximos cinco anos. Isso porque o assentamento será contemplado com investimentos na ordem dos R$ 280 mil provenientes do projeto RN Sustentável, edital número dois de economia solidária. Os recursos serão aplicados na construção de um novo espaço objetivando a instalação de uma minifábrica de confecções.

"Era um sonho conseguir esse espaço e acredito que agora só temos a ganhar e melhorar a nossa economia", ressaltou a presidente da Associação Negros Feliciano do Alto, Maria de Fátima Gomes.

A técnica do Núcleo de Assistência Social do RN Sustentável, Cristina Dantas, conta, ainda, que esse não será o único benefício à população da comunidade. "Ainda serão desenvolvidas ações voltadas para o trabalho em grupo buscando sanar as fragilidades e aprimorar as potencialidades, como apoio técnico para que eles possam oferecer um produto de qualidade".

A comunidade está entre as prioridades do projeto, que visa diminuir as desigualdades socioeconômicas do estado, através de intervenções estratégicas e o acesso a oportunidades de ocupação e renda.

Neste primeiro momento do projeto, serão 12 comunidades tradicionais beneficiadas, em um total de 21 identificadas pelo último Estado de Avaliação de Impacto Socioambiental, sendo três indígenas e 18 quilombolas. O município de Portalegre soma quatro comunidades quilombolas.

Associação quilombola de Portalegre receberá do Programa RN Sustentável investimentos para projetos culturais

A comunidade tem cerca de 30 famílias que mantém a tradição e a cultura das comunidades quilombolas através de dança, artesanato e capoeira.

Marília Rocha/Nominuto.com

O grupo se denomina "multireligioso" e rende homenagens a São Gonçalo, uma espécie de santo para os católicos e preto velho.

Danças, músicas e culto a tradição africana foram apresentadas neste domingo (14) pela Associação Quilombola Negros Felicianos do Alto, no município de Portalegre que fica no Alto Oeste do Rio Grande do Norte. A comunidade será contemplada nos próximos anos com investimento do projeto RN Sustentável do Governo do Estado.

A comunidade tem cerca de 30 famílias que mantém a tradição e a cultura das comunidades quilombolas através de dança, artesanato e capoeira. Antonia da Conceição Bessa, 62 anos é um exemplo. Ela é neta da fundadora do grupo de dança São Gonçalo e hoje suas filhas e netas continuam com ela na atividade. "Essa dança me lembra a minha mãe e todas as mulheres daqui que lutam para que nossa cultura nunca acabe", destacou.

O grupo se denomina "multireligioso" e rende homenagens a São Gonçalo, uma espécie de santo para os católicos e preto velho, na cultura africana do candomblé.

E para quem pensa que os descendentes dos quilombolas só pensam na cultura, as primas Maria Vilania, de 69 anos e Maria Marcelina, de 64 anos mostram uma outra realidade. Elas produzem e vendem artesanato na cidade de Portalegre e nas feiras em todo o Alto Oeste. A comunidade também conta com mais de 120 capoeira.

As mulheres jovens também participam da cultura, como o grupo Maneiro Pau que já fez apresentação em todo o Rio Grande do Norte e reforçam o potencial do turismo da serra de Portalegre

16 de Dezembro Os primeiros secretários do Governo Robinson Faria

Blog do JP

O Secretariado de Robinson Faria vai ganhando cara e já tem alguns nomes confirmados.

O governador eleito Robinson anuncia na próxima sexta-feira os primeiros nomes do seu secretariado.

O blog antecipa aqui alguns nomes já confirmados para fazer parte do governo que começa a trabalhar em 1 de janeiro.

CONFIRMADOS: Marcelo Toscano (Caern), Georgia Neri (Comunicação), Rui Gaspar (Turismo), Virginia Ferreira (Planejamento), Francisco Wilkie (Procuradoria Geral do Estado) e Julianne Faria para a Assistência Social. Kalina Leite está confirmada na área da Segurança Pública e o Detran deverá ser dirigido por Marcos Freire.

O Empresário Beto Santos vai comandar a Potigás e tem a missão de colocar a empresa nos trilhos e voltar a ter uma boa convivência com a Petrobras.

Vai caber ao PT a indicação dos futuros titulares da Educação, Reforma Agrária, Cultura, Fundação José Augusto e Emater
AVANÇADOS

Está em processo de negociação bastante adiantado o nome do médico Ricardo Lagreca para Saúde, o ex-secretário Paulo César Medeiros para voltar ao comando da Secretaria de Administração e Recursos Humanos.

O PC do B vai indicar os titulares da Secretaria de Esportes e a presidência da Ceasa. O prefeito de Mossoró, Francisco José Silveira Júnior, deverá indicar o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

O nome para o Desenvolvimento Econômico foi indicado por Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central é um dos principais economistas do PSD. O homem vira de Brasília e é casado com uma mossoroense.

DIA D

Esta terça-feira é um dia D para o futuro governo, Robinson se reúne pela manhã com o médico Ricardo Lagreca e a tarde com o ex-secretário Paulo César Medeiros, dois excelentes nomes.

Secretarias como Sejuc, Tributação e Gabinete Civil as negociações continuam totalmente em aberto. São pastas que o governador eleito tem tratado pessoalmente e com bastante discrição

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Falta de dinheiro para pagar os salários de dezembro do Governo Rosalba começa a ser investigado

Marcos Dantas

Do Jornal de Hoje – A equipe de finanças da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) anunciou, em novembro, que deixaria paga “quase todas as dívidas” da atual gestão. Na semana passada, no entanto, a surpresa: faltam R$ 150 milhões, até, para pagar a folha salarial de dezembro e o funcionalismo não sabe “como” (ou “se”) vai receber. Diante disso, o Ministério Público de Contas, que já vinha apurando os seguidos atrasos no pagamento, decidiu instaurar um procedimento preparatório exclusivo para investigar esta nova situação de crise e se o Governo tentou ou não evitá-la, tomando medidas de corte de gastos com comissionados e contratos.

Em comunicado a imprensa na manhã de hoje, o procurador-geral do MP de Contas, Luciano Ramos, informou que o procedimento preparatório é baseado nas “notícias de atraso no pagamento da folha do funcionalismo público estadual no mês de dezembro de 2014, com objetivo de ter informações sobre os motivos da ausência de possibilidade fática de realização do pagamento tempestivo dos vencimentos dos servidores públicos estaduais e se as medidas determinadas, de forma geral e abstrata, por meio do Decreto nº 23.627, de 2 de agosto de 2013 – que estabelece medidas de contenção de despesas públicas no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta Estadual – foram devidamente implementadas concretamente, entre outras questões”.

Governador defende emendas para saúde e segurança em reunião com bancada federal

O governador eleito do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD) defendeu emendas para saúde pública em reunião com os deputados federais da bancada potiguar.

A reunião aconteceu nesta segunda-feira (15) em Brasília.

“Precisamos do apoio da bancada federal para ajudar o Governo do Estado na construção do novo Hospital de Trauma de Natal e emendas de apoio a reestruturação da saúde pública, com melhorias nos hospitais regionais em todo o Rio Grande do Norte”, destacou o governador eleito.

Os deputados federais apresentaram a Robinson os projetos para emendas coletivas: 1) Emendas para a construção do Hospital de Trauma de Natal; 2) Reforma e reaparelhamento dos hospitais regionais; 3) Investimento em tecnologia e novos equipamentos para a segurança; 4) Construção da estrada que liga a BR 101 à praia da Pipa a partir do município de Goianinha e emendas para as unidades de ensino e educação.

Participaram da reunião os deputados federais Fábio Faria (PSD), João Maia (PR), Sandra Rosado (PSB), Paulo Vagner (PV), Fátima Bezerra (PT), Felipe Maia (DEM), Betinho Rosado (PP), além do senador José Agripino (DEM) e da governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

UFRN é eleita a 3ª melhor universidade do País no esporte e a 1ª entre as universidades públicas

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebeu pela Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), o troféu eficiência como a terceira melhor instituição do Brasil no esporte universitário e a primeira entre as universidades públicas.

Para a diretora da Divisão de Atividades Desportivas (DAD), Suzet Cabral, esse prêmio é de muita relevância para UFRN e para o estado uma vez que a universidade disputou com quase 300 instituições entre públicas e privadas. Foram 14 modalidades disputadas durante o ano.

O futebol foi o destaque da UFRN que trouxe o vice-campeonato da Liga do Desporto Universitário. Na 62ª edição dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), a instituição teve excelentes resultados: duas medalhas de prata no judô, com os atletas Wagner Claudius e Ana Tércia. Medalha de prata no voleibol que significou a conquista de acesso à Divisão Especial.

A natação também tem o que comemorar, não conquistou medalhas no JUB’s, mas conseguiu chegar às disputas finais. “ Esses resultados são frutos de um trabalho que está só começando. Sem o apoio da reitora e demais órgãos da Universidade, o trabalho dos técnicos e o empenho dos atletas não conseguiríamos esse resultado, finaliza Suzet. Com informações da UFRN

domingo, 14 de dezembro de 2014

Apertem os cintos, a presidenta do Brasil sumiu

Josias de Souza

A dezoito dias do recomeço, o governo enfrenta um enorme problema. A encrenca tem nome e sobrenome. Muitos chamam de Graça Foster. Se estivessem corretos, a solução exigiria um simples movimento de mão. E custaria a tinta da esferográfica e a folha do ato de exoneração. Mas estão enganados. Chama-se Dilma Rousseff o problema do governo.

Acaba de ser reconduzida à poltrona de presidente da República como solução dos 54 milhões de brasileiros que a elegeram. Porém, quando se imaginava que fosse dirigir os rumos do país nesta ou naquela direção, a Dilma resoluta da campanha, 100% feita de João Santana, sumiu. Por pressão, não por opção, Graça logo passará. O problema, não.

No futuro, quando puder falar sobre os dias atuais sem uma camada de óleo a turvar-lhe a vista, a história dirá que o Brasil atravessou mais um desses momentos de transição que fazem a nação evoluir, ainda que aos trancos. Pouca gente notou, mas estão em curso transformações profundas.

A Petrobras, como se sabe, afunda. E junto com ela podem ir a pique:

1. O presidencialismo de cooptação, que submete estatais e repartições públicas à pirataria partidária.

2. O modelo de contratação de serviços e obras públicas, baseado no critério único do ‘quanto eu levo nisso?’

3. As velhas desculpas esfarrapadas —como “eu não sabia”, “doa a quem doer” e “cortar na própria carne”.

Com dezenas de parlamentares imersos em óleo queimado, o Legislativo está prestes a virar delegacia de política. O Judiciário, já entupido de processos, se manterá ocupado tentando converter crimes em castigos. Se sua capacidade de liderança não fosse invisível a olho nu, Dilma poderia governar o processo de mudanças. Inerte, é desgovernada pelos acontecimentos.

Em 26 de outubro, depois de contados os votos do segundo turno, Dilma leu seu último discurso sob a supervisão de João Santana. “Algumas vezes na história, os resultados apertados produziram mudanças mais fortes e rápidas do que as vitórias amplas”, disse a reeleita.
Hoje, Dilma conspira contra a mudança. Faz isso ao renegociar a partilha dos cofres do seu governo com os partidos de sempre. Que imaginam ser possível manter o melado escorrendo por mais quatro anos.

Aquela Dilma do dia da vitória também disse: “Essa presidente está disposta ao diálogo, e esse é meu primeiro compromisso no segundo mandato: o diálogo.” A Dilma de hoje não conversa nem com o espelho. Só fala com Lula, que já foi recebido no Alvorada três vezes em menos de dois meses. É muito mais do que os ministros, alguns há mais um ano sem uma audiência com a chefa.

“Quero ser uma presidenta muito melhor do que fui até agora”, declarou ainda a Dilma de 48 dias atrás. “Quero ser uma pessoa muito melhor. Esse sentimento de superação não deve apenas impulsionar o governo e a minha pessoa, mas toda a nação.”

Na bica de tomar posse, a Dilma atual nunca foi tão Dilma. Foge da conjuntura à maneira do avestruz. Enfia a cabeça nos baixios de sua autoestima. E vira a página. Para trás. A contragosto, Dilma cede nacos do seu poder declinante para Joaquim Levy. E reza para que a lama não impeça a ortodoxia do novo ministro da Fazenda de consertar os erros do primeiro mandato e recriar aquele ambiente de rigor fiscal de 2003, primeiro ano de Lula.

Em condições normais, o segundo reinado de Dilma seria duro. Sob atmosfera de derretimento moral, com os delatores suando o dedo; com jovens procuradores procurando; com o juiz Sérgio Moro julgando; com os aliados na fila do cadafalso; com tudo isso, Dilma 2ª tormou-se um caso único: reeleita, ficou menor do que era. Tão pequena que some no meio da crise

Revista _rn no ar!